quinta-feira, 19 de junho de 2014

Propriedades da Alfavaca (manjericão)

Propriedades da Alfavaca (manjericão)
Nome popular: Alfavaca
Nome científico: (Ocimum basilicum)
Família: Labiadas
Outros nomes: Alfavaca-da-américa, remédio-de-vaqueiro, manjericão-de-folha-larga.
Descrição: Planta herbácea, muito cheirosa.
Folhas: ovais ou oval-clípticas, longipecioladas, Inflorescência em espigas.
Fruto: aquênios.
Uso: As folhas são aromáticas, estimulantes, carminativas, antieméticas, sudoríficas e diuréticas.
Aplicam-se nos seguintes casos: Ardor na urinação; debilidade dos nervos; digestão dificultosa; enfermidades dos intestinos, estômago e rim; febres, tosse, ventosidades. Empregam-se 10 a 15 gramas, por infusão.
Externamente usa-se para gargarejos em casos de dor de garganta, angina, aftas, etc. As folhas amassadas são boas para curar feridas.
Com o chá das folhas, ou com o chá das sementes em maceração, preparam-se compressas que as mães lactantes aplicam sobre os bicos dos seios afetados.
Com a raiz prepara-se um xarope para combater a tuberculose pulmonar.
Parte usada: Folhas e sementes.
Dose: 10 a 15 gramas para 1 litro de água; 4 a 5 xícaras por dia.
Fonte: As plantas curam.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.
Leia mais...

sábado, 14 de junho de 2014

Propriedades do Alcaçuz

Alcaçuz
Nome popular: Alcaçuz
Nome científico: (Periandra dulcis)
Família: Leguminosas.
Outros nomes: Periandra, urucu-huê, alcaçuz-da-terra, raiz-doce.
Descrição: o alcaçuz é um arbusto que dá em campos altos e pedregosos.
É comum em Minas Gerais. Folhas compostas. Folíolos oblongos ou lanceolados, glabros, com nervura saliente. Flores em racimos terminais. Raiz adocicada.
Uso medicinal: é uma planta resolutiva, laxativa, diurética, expectorante, calmante.
Uso: usa-se nas inflamações do ventre e das vias urinárias, nos defluxos, catarros crônicos, congestão hepática, dispnéia.
A raiz seca, reduzida a pó, e misturada com um pouco de farinha de trigo, aplica-se, em forma de cataplasma, sobre as partes afetadas pela erisipela, para acalmar a dor.
Parte usada: raiz, por decocção.
Fonte: As plantas curam.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.
Leia mais...

quinta-feira, 12 de junho de 2014

Propriedades da Acariçoba

Acariçoba
Nome popular: Acariçoba
Nome científico: (Hydrocotyle umbellata, Hydrocotyle bonariensis – A segunda é sub-espécie da primeira)
Família: Umbelíferas.
Outros nomes: Erva-do-capitão, barbarosa, acaciroba, acaricaba.
Descrição: Planta rasteira, com grande folhas longipecioladas, crespas, peltadas, e inflorescência ramosa.
Flores: esbranquiçadas.
Frutos: pequeninos, com duas sementes dentro, em forma de cápsula chata.
Vegeta nas proximidades das águas.
Uso medicinal: é aperiente, desobstruente, diurética, emética (em dose elevada), tônica.
O decocto da raiz usa-se para: afecções do baço, fígado e intestino, diarreia, hidropisia, reumatismo, sífilis.
Das folhas não se faz uso interno.
Afirma-se que são venenosas.
Exteriormente: se usa o decocto da planta toda para combater as sardas e outras manchas da pele.
Parte usada: Toda a planta.
Fonte: As plantas curam.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.
Leia mais...

sábado, 24 de maio de 2014

Farelo de trigo - sua importância

Trigo
Composição: o farelo de trigo contém abundantes proteínas, gorduras, vitaminas e minerais, embora não sejam bem aproveitados pelos seres humanos, por se encontrarem encerrados entre fibras de celulose que não são digeríveis. No entanto, o interesse deste farelo não está nos nutrientes que possa fornecer, mas em sua riqueza de fibra, que atinge 42,8%.
A fibra do farelo está constituída por celulose, hemicelulose e lignina (que lhe confere a consistência dura e lenhosa).
Ação fisiológica: produz três ações principais no intestino:
* Retém água e aumenta o volume e peso das fezes. Para cada grama de farelo consumido, as fezes aumentam 2 - 3g de peso.
* Aumenta a velocidade do trânsito das fezes através do intestino.
* Adsorve: isto é, retém e elimina com as fezes - substâncias irritantes, tóxicos, colesterol, sais biliares e cancerígenos que se encontram no intestino.
Vantagens do farelo:
* Compensa a falta de fibra: de uma alimentação baseada em alimentos refinados. Ainda que seja preferível usar cereais integrais do que consumi-los refinados e depois acrescentar farelo para compensar.
* Evita a prisão de ventre: para que surta efeito devem-se tomar de 20 a 30g diários, ao menos durante uma semana.
* Reduz o nível de colesterol: ainda que o farelo de aveia seja muito mais eficaz para isso.
* Reduz o risco de ter diverticulite: câncer de cólon, doenças coronárias e câncer de mama.
Incovenientes do farelo:
* Irritação do intestino: devido à dureza que lhe confere a lignina, a fibra do farelo pode ser irritante para a mucosa que cobre o interior do intestino. Desaconselha-se o uso do farelo em caso de colite e cólon irritável.
* Conteúdo em fitatos: os filatos formam compostos insolúveis como o ferro, o zinco e o cálcio, dificultando a absorção desses minerais no intestino.
- No entanto, quando se consomem cereais integrais cozidos germinados ou fermentados (pão, confeitaria), os fitatos não têm efeitos negativos sobre a absorção de ferro, zinco e cálcio.
Prisão de ventre: o farelo está em contato com o exterior e pode estar contaminado por:
- Pesticidas.
- Metais pesados.
Uso correto do farelo:
* É preferível consumir o farelo em seu estado natural, juntamente com o restante do grão, formando parte do trigo integral e seus derivados.
* Em caso de ingeri-lo isoladamente, insiste-se que não se deve ultrapassar os 30g diários e, se for possível, procedente de cultura orgânica. Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.
Leia mais...

sábado, 17 de maio de 2014

Feijão - propriedades e tempo de preparo

Feijão - sua importância
Feijão branco redondo: é pequeno e de forma ovalada. Usa-se para cozidos e caldos. Por sua textura é ideal para fazer purê.
Tempo de cozimento: de uma hora e meia a duas horas.
Feijão rajado: sua forma é ovalada e o tamanho, médio. Muito usado na cozinha italiana.
Tempo de cozimento: de uma hora e meia a duas horas.
Feijão vinagre: tem a forma e cor de um rim. Sua textura é muito suave e o sabor intenso. Combina muito bem com pimenta e saladas (prato apimentado mexicano).
Tempo de cozimento: uma hora e meia.
Feijão rosinha: é de sabor intenso, porém menos do que o feijão vinagre.
Tempo de cozimento: uma hora.
Feijão preto: forma ovalada e de cor escura. De sabor adocicado. Preferido para uso diário em muitas regiões do Brasil, e ingrediente da famosa 'feijoada'. Usa-se em sopas e misturado com arroz.
Tempo de cozimento: uma hora e meia.
Feijão fradinho: caracterizado por sua pequena mancha preta. Tem sabor um pouco forte, mas a textura suave e cremosa. A casca é uma das mais finas entre todos os feijões.
Tempo de cozimento: de meia a uma hora.
Feijão fava: tem uma forma achatada, com textura cremosa e sabor muito suave. Também se chama feijão manteiga. Usa-se em guisados e pratos diversos.
Tempo de cozimento: de uma hora a uma hora e meia. Fonte de pesquisa: Livros diversos e biblioteca pública.
Texto meramente informativo. Sua visita periódica ao seu médico de confiança é fundamental.
Leia mais...